Google+ Followers

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

POLÍTICA - O que vale é a convicção.

Sem provas, mas com “convicção”: PF quer esticar investigação sobre Lula e Dilma

luladil
O  site Jota registra que a Polícia Federal pede ao Supremo Tribunal Federal “mais prazo” para as investigações que faz sobre uma suposta “obstrução da Justiça” na escolha, por Dilma Rousseff, do ex-presidente Lula como chefe da Casa Civil do governo. E com apoio da Procuradoria Geral da república.
Diz o site que “para os procuradores, a indicação de Lula à Casa Civil fez parte das ações do Palácio do Planalto para “tumultuar” o andamento da apuração do esquema de corrupção da Petrobras e de retirar do juiz Sergio Moro a condução das investigações que envolviam Lula, garantindo-lhe o direito ao foro privilegiado”.
É uma convicção e, portanto, dispensa provas, como aquela gravação já considerada ilegal pelo STF, mandada divulgar por Sérgio Moro mas que, como ele é um juiz acima da lei, não deu em nada.
O aparato policial-judicial brasileiro virou uma ferramente de perseguição política vergonhosa. Não se apura os fatos, buscam-se provas – ou algo levemente assemelhado a isso – para confirmar opiniões.
Como perguntou hoje Donald Trump: “estamos na Alemanha nazista?”

Nenhum comentário: