Google+ Followers

domingo, 27 de maio de 2018

POLÍTICA - O petróleo por trás de tudo.

Iraque e Líbia são exemplos disso. A derrubada dos governos da Venezuela, Irã, Coréia do Norte e Síria, pelos EUA, para empossar seus fantoches, faz parte da geopolítica americana do petróleo, para ter acesso fácil e mais barato a esse ouro negro.
A Síria é importante, pois através do seu território, há uma redução tremenda da distância para escoar o petróleo oriundo da Arábia Saudita. 
Quanto ao Brasil, Serra, Temer, Paulo Parente e Dr. Moro e sua turma, já cumpriram sua missão, como o articulista abaixo demonstra.
Antigamente os americanos assediavam os militares para promoção dos golpes. Hoje, assediam o poder judiciário, levando seus membros para cursos nos EUA, ou mesmo dando cursos nos países de origem dos mesmos, conquistando corações e mentes para seus objetivos.
Vários "thinkingthanks" americanos de direita vivem homenageando o Moro e o convidando para fazer palestras.
O ex PGR, Rodrigo Janot, foi aos EUA, a revelia do Ministério da Justiça, para entregar as autoridades americanos, documentos contra a Petrobras, que permitiram aos famosos "fundos abutres" estadunidenses, entrarem com ações contra a Petrobras. Só num governo golpista como o atual isso é possível.
No meu tempo de faculdade, programas americanos como "Aliança para o Progresso" e Usaid, viviam convidando estudantes e sindicalistas brasileiros, para fazerem cursos relâmpagos nos EUA, isso nos anos de 1962 e 63, preparando seus corações e mentes contra o presidente João Goulart, que acabou deposto em 1964, com o apoio dos americanos, que deslocaram uma esquadra para o litoral fluminense, numa operação que ficou conhecida como "Sam Brother".
Moro e sua turma, transportou o direito americano para o direito brasileiro sem o menor pudor. Para essa turma,  os fins justificam os meios, e quem não concordar, vá "se queixar ao Papa". 
O pessoal do STF fica fingindo que não está vendo nada, pois não quer ficar mal no Jornal Nacional.
Os golpes em Honduras, Paraguai e Brasil, seguiram o novo figurino, que dispensa ditaduras militares e utiliza o poder judiciário e mídia amiga para alcançar seus objetivos.
E os bobos ficam acreditando em primavera árabe, ajuda humanitária e outras bobagens.
Se tem alguém que defende seus interesses com "unhas e dentes",  a qualquer preço, são os americanos. 
Tivemos a famosa "Doutrina Monroe" pela qual, as Américas são dos americanos, melhor dizendo, quintal deles.
Outro presidente disse: "Os americanos não tem têm amigos, têm interesses".
A reativação da IV frota americana não foi por acaso, e até hoje os americanos não reconheceram nos foros competentes, o mar territorial de 200 milhas. E onde fica o pré-sal?
A lava jato conseguiu interromper a construção do submarino nuclear brasileiro, nossa indústria naval e a engenharia de base pesada nacional, para êxtase dos nossos irmãos americanos, que ficaram livre da concorrência em obras internacionais.

Nenhum comentário: