Google+ Followers

sexta-feira, 31 de março de 2017

POLÍTICA - "Não dá para ver fundo dp poço.

Notícias do dia: não dá para ver fundo do poço.

Ricardo Kotscho


Sexta-feira, 31 de março de 2017.

Falaram tanto que tínhamos chegado ao fundo do poço e as coisas estavam começando a melhorar, mas os fatos, infelizmente, provam exatamente o contrário.
Basta dar uma olhada no noticiário deste dia de trágicas lembranças de 53 anos atrás, quando comecei na profissão, e até hoje não conseguimos apagar, como um fantasma sempre voltando a rondar nosso futuro.
Antes do meio dia, o panorama era o seguinte:
* Desemprego volta a crescer, já atinge 13,5 milhões de brasileiros e bate recorde histórico.
* PIB cai 0,26% em janeiro e acumula queda de 3,99% em um ano.
* Rejeição ao governo de Michel Temer sobe para 55%, segundo o Ibope, a mais alta desde a sua posse. Não confiam em Temer 79% dos entrevistados.
* Ministro do Planejamento não descarta aumento de impostos este ano.
* Preços dos remédios sobem até 4,67% a partir de hoje.
* Protestos contra a reforma da Previdência acontecem em seis Estados no Dia Nacional de Mobilização e Greve organizado pelas centrais sindicais.
* Condenado a 15 anos de prisão, Eduardo Cunha ameaça detonar a caixa preta do PMDB.
* Está para ser divulgada a qualquer momento pelo ministro Edson Fachin a nova Lista do Janot com a quebra do sigilo da "delação do fim do mundo" dos executivos da Odebrecht.
* Renan Calheiros recusa agrados do governo e vira o novo líder da oposição.
* Sergio Cabral negocia delação premiada.
Ao se ligar os fatos, num rápido balanço das notícias do dia que encontrei ao voltar do dentista, o conjunto da obra é assustador. Não há tanques à vista neste 31 de março, mas nuvens negras se acumulam no horizonte, apesar de todas as previsões e propagandas em contrário.
Para quem gosta, como é o meu caso, a única boa notícia é que o Roberto Carlos vai lançar novo disco na semana que vem.
E por mais que a gente procure, lamento dizer, ainda não dá para ver o fundo do poço
Vida que segue.

Nenhum comentário: