Google+ Followers

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

POLÍTICA - O cara começou "amarelhar'.

Paraná 247 – Alvo de críticas e de questionamentos pelo modo como divulgou a denúncia contra o ex-presidente Lula na semana passada, o procurador Deltan Dallagnol defendeu, nas redes sociais, o trabalho da força-tarefa e disse que investigados só são presos quando isso é estritamente necessário.
Segundo ele, só 9% dos acusados estão presos e apenas 3% estão presos sem condenação. "A Lava Jato prende só quando extremamente necessário", publicou Dallagnol. Ele rebateu ainda ser "mentira" que a Lava Jato "prende para forçar o réu a confessar".
Outros números divulgados pelo procurador foram que mais de 70% dos 70 acordos de colaboração premiada "foram feitos com investigados soltos". "Prisões não têm relação necessária com confissões", defendeu, reforçando que a Lava Jato "segue a Constituição e as leis".
Como o ex-presidente Lula, denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do apartamento no Guarujá (SP), não tem ninguém a delatar, por estar, segundo o próprio Ministério Público, no topo do esquema, nada indica que haja a intenção de prendê-lo.

Nenhum comentário: